sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Natal...

Este ano um amigo convidou-me para passar o Natal na terra dele. Uma daquelas terrinhas magníficas do interior que em alturas de festa duplica de população. Foi magnífico! Gente fantástica, ambiente fantástico, calor humano fantástico, e frio fantástico também!...

Mas que faço eu, ateu convicto, num local onde todos são católicos?... onde todos vão à missa do galo... Bem, este ano nem todos foram à missa do galo!...

Inevitavelmente, no dia seguinte o tema "Deus" acabou por se tornar assunto de conversa. De um lado os meus anfitriões e os seus familiares locais, do outro lado eu...

Foi uma conversa extremamente interessante, outra coisa não seria de esperar de pessoas civilizadas. Mas foi, também, uma conversa que não levou a lado nenhum, provando, uma vez mais, que isto de acreditar ou não acreditar é exclusivamente uma questão de convicção e de fé.

2 comentários:

filha do administrador disse...

hmm, já vi que no Natal também fazes a familia à medida :)
Eu também. Cá em casa pertencem à familia também alguns amigos, já nem sei fazer o Natal sem eles e sem ser convencida, acho que nem eles sem mim

Encanto Solitário disse...

E o que é a fé?
Em que se baseia?
Naquilo que nos foi ensinado a acreditar?
Naquilo que parece bem acreditar?
("Que pensariam as pessoas de nós?")
Naquilo que é a nossa experiência de vida?
E o que é que a nossa experiência nos diz?
As tais coisas, captadas pelos tais sentidos, que podem ser enganados?
Ou aquilo que vemos para além das máscaras?
Ou que julgamos ver? (Porque isto de ver para além das máscaras não é cientificamente comprovável e por isso não passa de leitura de entrelinhas)
E qual é a tua convicção, já agora?
Já te disseste ateu, em que é que acreditas?