terça-feira, 18 de dezembro de 2007

O devaneio do cantinho

Pronto, já está!... depois de muitas hesitações decidi-me, finalmente, a iniciar o meu próprio blog.

Porquê?... Para quê?...

Bem, a verdade é que muitas vezes dou por mim a espiar, secretamente, alguns dos devaneios em que o meu pensamento se costuma perder, e achei que valia a pena registá-los num cantinho secreto. Não que sejam especialmente bons ou especialmente maus, são apenas isso, devaneios.

E não, não me refiro aqueles devaneios ditos imorais! Esses são, por aquilo que tenho observado no meu papel de voyeur, demasiado fúteis e sem graça para com eles desperdiçar o espaço de um qualquer blog.

Ficam, portanto, os outros... não especialmente bons, não especialmente maus... a maior parte também sem graça...

Quanto ao local... não, não poderia ser num outro lugar qualquer... tinha de ser um lugar confortavelmente desconfortável... um lugar secretamente público, onde todos poderão vir espreitar, mas que não se espera venha a ser muito espreitado... enfim, um cantinho!

Aqui fica, portanto, este cantinho, ainda vazio de outros devaneios além deste primeiro.

4 comentários:

A Túlipa disse...

Depois da fantástica dscrição no meu blog, A Túlipa espera já por mais devaneios =]

'

Shelyak disse...

Gosto sempre de ir ao primeiro post sempre que um blog prende a minha atenção, por este ou aquele motivo como, então, é agora o caso.
Depois de ter lido as post consequentes, te digo que o resultado, para mim, tem sido belíssimo e mesmo cativante.
Não será um blog para as maiorias, claro, mas abençoadas sejam as minorias...
No meu caso - e quando fazes referência a coisas imoriais - deixo escapar todo o tipo de sentimentos e pensamentos que me vão na alma...gosto muito de divagar sobre o tudo e o nada, sobre as coisas que nos movem, sejam elas de que carácter forem... por vezes, é complicado tal mistura mas...
that's the way I am... that's the way I love it...
Um abraço que te deixo!

Pandora disse...

É isso mesmo..., "um espiar os próprios pensamentos" e registá-los "num lugar secretamente público"!

Eu sinto algo parecido...
Uma necessidade quase insuportável de libertar os pensamentos para a escrita..., produzindo textos semi-secretos..., mas com o desejo inconfessado de que sejam descobertos..., sem se dar a conhecer..., mas com vontade de ser apreciado..., enfim..., algo um pouco contraditório..., como o teu lugar secretamente público.

Encanto disse...

Cá vim parar, sem saber bem como, mas parece que estou a espreitar o teu cantinho...
Vou explorar mais um pouco.