sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Caprichos do Acaso - parte I

Foi notícia de abertura do noticiário. Não que o acontecimento fosse especialmente extraordinário, como o jornalista fez questão de salientar, mas porque, na ausência das habituais notícias sobre guerras, atentados, desastres, escândalos, desfalques, ou outras igualmente capazes de prender a atenção dos espectadores, o director de informação achou ser aquela a que melhor permitira reduzir a probabilidade de eles se sentirem tentados a procurar melhor sorte noutro canal.

“O sorteio do loto não é, normalmente, tema de abertura dos noticiários, mas o sorteio de hoje ditou uma chave curiosa. Os números sorteados foram o um, o dois, o três, o quatro, o cinco, o seis, e o número suplementar o sete. Mais curioso ainda é o facto de os números terem saído exactamente por esta ordem, ou seja, do um ao sete.”

As imagens dos momentos em que cada um dos números saiu da tômbola foram repetidas. Uma jornalista, de quem não se vê a cara, mas que se imagina tão doce quanto a sua voz, descreve o sucedido, como se as imagens, por si só, não fossem prova bastante.

O perito, chamado a comentar o sucedido, também faz questão de realçar que o facto nada tem de anormal:

“De facto, a chave sorteada hoje é tão provável quanto qualquer outra, tão provável quanto cada uma das que foram sorteadas nas semanas anteriores, e que não foram motivo de abertura de noticiários.

A probabilidade de o número um ser o primeiro a sair é de uma em quarenta e nove. Depois de ter saído o um, a probabilidade de sair o dois é de uma em quarenta e oito, e assim sucessivamente. A probabilidade do sorteio de hoje era de uma em quarenta e nove, vezes quarenta e oito, vezes quarenta e sete, vezes quarenta e seis, vezes quarenta e cinco, vezes quarenta e quatro, vezes quarenta e três. Ou seja, de uma em quatrocentos e trinta e dois mil milhões novecentos e trinta e oito milhões novecentos e quarenta e três mil trezentos e sessenta… mas esta é exactamente a mesma probabilidade da sequência sorteada na semana passada, se tivermos em conta a ordem em que os números saíram.”

Durante os dias seguintes, aparte alguns comentários ocasionais em conversas de circunstância, pouca atenção voltou a ser dada à curiosa chave do loto. Os apostadores premiados lá foram reclamando os respectivos prémios, uns melhores que outros, em função da quantidade de números acertados. Houve mesmo dois apostadores a acertar na chave sorteada e, consequentemente, dividiram entre si o primeiro prémio.

Os apostadores habituais e os ocasionais lá foram registando as suas apostas para o sorteio seguinte, tal como vinha acontecendo desde a primeira semana em que se tinha iniciado este jogo.

Chega o momento do novo sorteio… a câmara foca a tômbola que gira… depois a imagem mostra a bola que vai rolando pela saída até à primeira posição na calha, é o um… a imagem mostra, de novo, a tômbola que gira… e logo de seguida uma nova bola rola e toma o seu lugar a seguir à primeira, é o dois… uma vez mais a tômbola que gira… e uma nova bola que rola e que toma o seu lugar, é o três… outra vez a tômbola que gira… e outra vez a bola que rola, é o quatro… a tômbola que gira… a bola que rola, é o cinco… a tômbola… a bola, é o seis… a tômbola que continua girando e que para de girar no momento em que a bola do número suplementar inicia, rolando, o seu caminho até ao lugar que lhe está reservado, e onde para de rolar… é o sete.

(Continua)

6 comentários:

Shelyak disse...

Atento por aqui...
Probabilidades e Estatística, gosto...assim como desta deliciosa divagação
:)

MARIA MERCEDES disse...

Escusavas de pôr lá o número de telefone completo....Assim vão todas ligar!

volto depois para ler com atenção o teu texto. Merece!

beijinho

MARIA MERCEDES disse...

Não resisti a ler! Reservo o comentário para o final... Sou como o que dizia que, Previsões só no final do jogo!

o beijinho do comentário anterior ainda está válido...

Isabela disse...

Tens razão,podemos gritar onde nos apetecer. Blogue muito bonito, o teu.

Rui disse...

Pelo sim, pelo não, vou apostar nesses números. Deixa lá ver o que a segunda parte me reserva.

lélé disse...

Lá está! Eu não tentaria a sorte no totoloto com uma chave dessas! Porquê? Penso que por ter a sensação de ser mais difícil ser sorteada uma chave dessas, do que outra qualquer. Pura ilusão!

Agora, notícia de abertura de noticiário digna de nota seria: "A Lélé ganhou o primeiro prémio do totoloto... e nem precisou jogar!"... (podia dizer-se que seria uma probabilidade em zero?)