sábado, 16 de fevereiro de 2008

Descoberta Indiscreta - parte III

(continuação da Descoberta Indiscreta - parte I e parte II)

Tinha na sua frente a mais extraordinária aplicação para a sua descoberta... e no entanto, se pudesse, voltaria atrás... abdicaria de todo este sucesso... abdicaria dos Prémios Nobel da Física e da Medicina... só para poder viver o resto da sua vida sem aquilo...

Mas não havia forma de voltar atrás, a avalanche tinha começado e era agora completamente impossível pará-la. Em breve, no espaço de meses, aquela tecnologia estaria disponível a qualquer pessoa no mundo... meses que poderiam ser dias para quem tivesse os meios apropriados...

Era o fim dos segredos, o fim das mentiras, o fim dos esconderijos, o fim dos crimes por resolver, o fim dos ataques surpresa, o fim das dúvidas da história, o fim dos bluffs, o fim dos detectives, o fim dos erros da justiça, o fim dos adultérios, o fim das portas trancadas, o fim dos cofres, o fim da privacidade...

Todos os jogos passariam a jogar-se com as cartas viradas para cima... tudo o que pertencesse ao passado, ainda que por insignificantes fracções de segundo, poderia ser visto sem limitações...

O telemóvel vibrou em cima da secretária, mostrando o nome do seu amigo do CERN no visor. Atendeu. Antes que pudesse pronunciar alguma palavra, já o silêncio se quebrara do outro lado da linha:

“Don’t waste your time trying to find any flaw in your calculations, they are correct...

I have put together some of my lab’s equipment and I have been watching the world for almost a week now... I have found some very interesting things!... right now I am watching what you were doing less than two minutes ago. I can’t get any closer to the present with this equipment, but it will not be very difficult to build a device that could break this barrier down to a few microseconds.”

“So this is the end of privacy...”

“Yes, the end of privacy, the end of all kinds of secrets...”

“The end of the world as we know it...”

“Yes, and the beginning of a new one... fortunately your discovery only allows us to look into the past, so we will have to wait to see if it is going to be a better one...”

FIM

6 comentários:

dina disse...

e isto já acontece há tantos anos e de formas tão diferentes que nem sonhamos :)

Rui disse...

O fim de algo é apenas o principio de outra coisa qualquer. Se é melhor? A descoberta da resposta é a parte divertida.

It's the end of the world as we know it and I feel fine

Paradoxo disse...

tens de publicar, está poderoso!!

abraço

dina disse...

ia jurar que já estamos muito longe do dia 16fev ... e já devia estar aqui mais alguma coisa, mas devo estar enganada

MARIA MERCEDES disse...

Conheces o "The Light of Other Days" do Arthur C. Clark com o Stephen Baxter? Trata da mesma temática do teu conto!

O tempo deixa de ser linear e passa a ser circular...

beijinhos na quarta dimensão

Fenix disse...
Este comentário foi removido pelo autor.